Outsourcing: vilão ou herói da Transformação Digital?

esteban-lopez-482093-unsplash

* Texto original, em inglês, por Alexander Nicholas Kozlov. Para acessá-lo clique aqui.

 

outsourcing é um acelerador ou um obstáculo para a execução de uma estratégia de transformação digital?

De acordo com um novo artigo na revista CIO, depende.

Do lado positivo, a autora Stephanie Overby cita etapas específicas que as empresas podem adotar para garantir que a terceirização aprimore os esforços de transformação. Esses incluem:

Os executivos, ao selecionarem o melhor parceiro de outsourcing, devem olhar além das organizações tradicionais. “O Digital é tão complexo que nenhum provedor tem a resposta para todas as perguntas - as empresas estão mais conscientes disso e estão procurando provedores menores e mais ágeis para implementarem sua estratégia de sourcing” escreve Overby.

Muitas companhias estão descobrindo que os modelos tradicionais de terceirização estão atrapalhando seus esforços de transformação. Por um lado, acordos rigidamente definidos e complexos sufocam a inovação e a flexibilidade. Em muitos casos, os provedores estão relutantes em interromper e potencialmente canibalizar fluxos de receita existentes, introduzindo novas tecnologias e modelos operacionais.

Por exemplo, um provedor de longa data de serviços de terceirização de help desk pode oferecer economias de custo e aprimoramentos incrementais em torno do tempo de resolução de incidentes. Ao fornecer melhorias, essas medidas não alteram realmente o status quo.

Um parceiro de transformação verdadeiramente disruptivo, enquanto isso, dirá: “Em vez de resolver os problemas com mais eficiência, vamos encontrar as causas-raiz dos problemas e eliminá-los. Enquanto isso, aplicaremos ferramentas inteligentes e faremos a transição da prestação de serviços baseada em pessoas para um modelo cada vez mais automatizado, baseado em tecnologia e processos. ”

Não é novidade que existe uma tensão entre a força disruptiva da inovação digital, por um lado, e por outro a inércia da terceirização legada. A boa notícia é que podemos estar chegando em um ponto de inflexão: uma nova pesquisa da Horses for Sources revela que “quase um terço dos acordos de terceirização estão seguros neste momento”. A razão básica é que cada vez mais organizações estão ficando descontentes com seus provedores. Muitos executivos têm postergado a verdadeira inovação e, em vez disso, estão simplesmente colocando uma etiqueta “digital” nas ofertas existentes.

Em sua maneira tipicamente contundente, o CEO e analista chefe Phil Fersht oferece seu conselho aos compradores de serviços terceirizados: “Se seu provedor de serviços de longa data não estiver entregando nenhum desses benefícios [digitais] ao negócio é hora de cortar a isca antes de ser demitido por perpetuar um modelo legado que está impedindo sua empresa de encontrar novos patamares de valor que seus concorrentes mais inteligentes já estão desfrutando."