Educação, o verdadeiro caminho para a Transformação Digital

gaelle-marcel-8992-unsplash

**Texto original, em espanhol, por Fabián Bosquiazzo. Para acessá-lo clique aqui.

No momento, precisamos entender a transformação digital como uma transformação de negócios, e é nesse processo que podemos encontrar três estágios claramente definidos: inicialização, execução e otimização. Vemos que a maioria das empresas já deu o pontapé inicial, entendendo que esse caminho é inevitável e exige uma reavaliação do negócio para enfrentar o contexto dos próximos anos.

Por outro lado, algumas empresas são um pouco mais avançadas nesse processo e estão em fase de execução, ou seja, construindo e desenvolvendo a partir de casos de negócios, entendendo claramente e com quanto valor contribuem. Segundo uma pesquisa global, 80% das empresas do mundo estão investindo em inteligência artificial. As empresas estão adicionando à tabela de decisões as diferentes visões de todos os participantes do negócio: e os CIOs desempenham um papel fundamental neste âmbito. Obviamente, cada empresa tem diferentes prioridades e um foco específico, que varia de acordo com sua estratégia, seu estado atual de maturidade e suas necessidades mais imediatas.

O contexto exige atacar todas as frentes, porém devido às limitações e restrições (especialmente no fator humano) com as quais elas começam a se encontrar, elas devem analisar e decidir estrategicamente como projetar esse plano. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, cerca de 7 milhões de empregos tradicionais em todo o mundo vão sucumbir até 2020 em face da crescente necessidade de profissionais com habilidades em TIC, bem como habilidades sociais e emocionais. Neste contexto, surge a necessidade de pensar sobre a melhor maneira de alcançar uma das grandes deficiências do mercado a nível regional: a educação. Ambas as gerações que ainda estão em formação, nas instituições escolares e nos talentos que hoje já colaboram nas empresas.

Uma pesquisa realizada pela IDC aponta que 32% das empresas latino-americanas têm um grande desafio para encontrar talentos adequados em TI, enquanto 24% sentem que suas principais dificuldades são atrair, reter e motivar seus funcionários.

O que é claro e comum em todas as empresas é que o processo de transformação digital não pode ser realizado isoladamente. É necessário adicionar parceiros de negócios - com experiência - que ajudem e aumentem as capacidades internas, evitando repetição de erros, acelerando os tempos e melhorando os resultados. Nesse processo de evolução, o capital humano continua a desempenhar um papel central e o seu principal recurso é a inovação. No entanto, as empresas reconhecem que não possuem talentos suficientes, por isso hoje grande parte das empresas investe seus recursos na geração de programas internos de treinamento, com o objetivo de que todas as áreas possam entrar no caminho da economia que está por vir. Para que a mudança seja possível, todos nós temos que fazer parte dela.

Os talentos de TI são tão procurados que a maioria deles é capturada pelo mundo dos negócios enquanto eles estão tendo seu primeiro ano na universidade para fazer parte de projetos, tanto na esfera privada quanto pública.

Por isso, a Indústria promove convênios com universidades, para que tanto jovens quanto aqueles que já estão inseridos em empresas possam acessar os mesmos conteúdos que são dados nos programas de pós-graduação de transformação digital.

Da mesma forma, o treinamento tecnológico deve começar do nível básico e continuar no médio, porque os locais de trabalho e as atividades das profissões estão mudando, e as crianças e jovens devem ser educados para entender os novos paradigmas. Um dos valores mais procurados hoje é o autogerenciamento, pois ensinar sobre a IoT não é uma preparação suficiente para a transformação digital, mas sim incentivar uma nova cultura que estimule a curiosidade e a criatividade, características que as empresas já estão desenvolvendo.

O caminho traçado

Além de fortalecer internamente seus talentos, as empresas entenderam a necessidade de terceirizar determinadas ações por meio de empresas especializadas no setor de TI. Para entrar no ritmo acelerado dessa transformação, as empresas encontram nas soluções de digitalização tanto a administração quanto a experiência que desejam proporcionar aos clientes.

Com quase 12.000 funcionários nas Américas, a Softtek possui especialistas em diferentes disciplinas e setores, uma vasta experiência nesse tipo de processo com empresas líderes e valores que nos permitem construir a confiança necessária para criar relacionamentos de longo prazo. Tudo isso significa que podemos ser parceiros estratégicos dos clientes, acompanhando-os em seus desafios, com um papel ativo na construção e execução do plano de Transformação Digital. As empresas não podem fazer isso sozinhas, por isso fornecemos especialistas, experiência e confiança para desenvolver e construir juntos, obter resultados e acompanhá-los a longo prazo.