O futuro das organizações

anders-jilden-478920-unsplash 

* Texto original, em inglês, por Leandro Nogueira. Para acessá-lo clique aqui.

Customer Centricity, Inteligência Artificial, agilidade: são palavras-chave que saturam os fóruns de CIOs hoje. Enquanto isso, todas as organizações de TI estão sob imensa pressão para fornecer algum nível de inovação com as tecnologias em voga.

O conceito-chave que não costuma ser mencionado explicitamente é o futuro da empresa. Nessa nova era em que permeiam discursos de abordagem digital e venda de serviços ou produtos sem investimentos em manufatura ou ativos, com uma estrutura de tecnologia ou hub, é possível lucrar apenas com a conexão direta entre os clientes e os vendedores. Obviamente, há exemplos bem conhecidos, como o AirBnB e o Uber, mas além destes casos mais famosos, encontram-se empresas como a RentHop, que criou uma plataforma de busca de apartamentos e tem gerado valor para proprietários e inquilinos em Nova York.

Tecnologia antiga versus nova tecnologia

Apesar das inúmeras opções de mídia e entretenimento disponíveis na televisão, smartphone ou tablet, a rádio AM/FM continua sendo a principal mídia de alcance semanal de acordo com este relatório da Nielsen. O estudo revela que os usuários ainda têm o hábito de sintonizar a rádio durante as suas viagens e no percurso diário para o trabalho.

Este é um exemplo claro de como uma tecnologia antiga e modelos de negócios tradicionais desempenham um papel importante e precisam ser planejados ao invés de apenas substituir por algo novo. Neste ponto, espero que você esteja pensando: "como podemos usar essa analogia na minha empresa?"

O futuro das organizações será uma mistura de modelos de negócios antigos e novas abordagens para os problemas atuais, além da visibilidade maior do cliente. A empresa do futuro será baseada em 3 pilares:

Improved Core: A velocidade de M&A ou a criação de novos produtos ou serviços, ou mesmo a manutenção dos mesmos produtos foram entregues sequencialmente aos clientes. Vejamos a Tesla, por exemplo, onde Elon Musk prometeu a produção de 5.000 unidades por semana em sua nova Giga Factory e entregou apenas 2.000, o que foi responsável pela queda de suas ações no início de 2018. A inovação de seus produtos é evidente, mas sua capacidade de entregar dentro do prazo está sendo altamente questionada agora.

Para a maioria dos líderes empresariais, concentrar-se exclusivamente na inovação sem levar em conta a melhoria do core é o começo do processo de declínio - em 5 a 10 anos os concorrentes já terão superado a sua empresa.

  • Conectividade: estruturas de negócios, serviços digitalmente conectados e especializados estarão em vigor. Uma empresa com boa performance não será a empresa que oferece inovação ou novos serviços, mas a empresa que estará bem conectada com seu ambiente, fornecedores, clientes e funcionários em uma plataforma exclusiva, conectando todas as necessidades para apoiar a visão da empresa. A empresa que não conseguir conectar todos os pontos (funcionários, clientes, sociedade, fornecedores, acionistas) terá dificuldades. (De novo - desculpe Musk -, o exemplo específico da Tesla).

 

  • Ferramentas digitais: A adoção digital, a abordagem de autoatendimento e a nova geração de clientes e funcionários forçarão a empresa a pensar sobre seus serviços e as relações com estes funcionários. Uma visão digital estará em vigor e novos braços e apêndices que atendem aos antigos modelos de negócios serão fundamentais para criar uma interação imersiva com os clientes e a nova cadeia de negócios. O discurso mais recente fala muito sobre a jornada do cliente e como o caminho individual para consumir um serviço ou produto - a “experiência” - é a mina de ouro do século XXI. Na verdade, a nova empresa deve ser capaz de interagir digitalmente com seu cliente e “fisicamente” entregar seus produtos (Lembre-se de Tesla).

Esteja preparado para o futuro da empresa

O Framework da Transformação Digital: Uma estrutura de transformação digital é a base para a transformação da organização e como priorizar os esforços e investimentos para apoiar uma visão de futuro única. Repense sua transformação real e reformule sua organização com base em como sua empresa estará posicionada em seus três pilares futuros (Improved Core, Conectividade, Ferramentas Digitais).

Plataforma principal: Para alcançar essa visão futura da empresa é essencial uma plataforma moderna ou um ERP que combine cenários antigos e comprovados com as abordagens mais recentes de IoT, AI e foco no cliente. O Gartner ilustra bem o conceito de ERP pós-moderno, definindo duas categorias de estratégia de ERP: 1) Administrativo, que se concentra em aquisições financeiras, HCM e indiretas; e 2) Operacional, que se concentra na fabricação e distribuição.

Agilidade: Agir rápido. Um comunicado da Forbes de 2015 previu: “Até 2018, 67% das empresas CEO da Global 2000 terão a transformação digital no centro de suas estratégias.” Hoje, todas as empresas estão correndo para estar no seu “ser digital”. ”, Mas muitos deles estão lutando e se movendo lentamente devido a pressões internas, governo ou falta de visão estratégica.