WMS: o trunfo tecnológico na gestão logística do Brasil

Nos dias atuais, a chamada “experiência do cliente” é um dos principais diferenciais que podem determinar o sucesso ou, até mesmo, o insucesso de uma empresa. Ela começa desde o instante em que o cliente inicia a busca de um produto na internet até o dia em que ele recebe o pedido em sua casa, com a qualidade esperada e no prazo estabelecido no instante da compra.

Ou seja: é a percepção que ele tem sobre o produto ou serviço de uma empresa, através de todas as interações ao longo desse ciclo. Porém, tal significado não se limita tão-somente à experiência do consumidor. Essa percepção vai além, influenciando o comportamento do cliente e construindo memórias que impulsionam a sua lealdade, além de afetar indiretamente o valor econômico de um determinado produto ou serviço.

Toda empresa, portanto, tem como foco garantir que esse ciclo de compra completo pelo qual o cliente vivencia, transcorra da melhor forma possível para que ele resulte, enfim, na sua fidelização. Mas, para que isso ocorra, é preciso compreender dois fatores cruciais:

  • A gestão do estoque dentro do WMS (Warehouse Management System);
  • E a gestão da logística, que utiliza o TMS (Transportation Management System).

O Warehouse inteligente vai muito além de apenas receber e transferir mercadorias, a gestão e gerenciamento de um depósito. Ele inclui, por exemplo, o planejamento de armazenamento, o fornecimento e controle do estoque, a gestão das atividades que ali ocorrem diariamente, entre outras tarefas.

Sabe-se que, nos dias de hoje, o principal impacto no custo de um produto é o custo de sua logística. Procurar novas e melhores formas de gerenciar um warehouse e a sua logística podem, portanto, reduzir custos, economizar tempo e aumentar a receita e a satisfação do cliente.

Quais os principais desafios da gestão de um Warehouse e da Logística?

  • Excesso de estoque.
  • Limitação de espaço.
  • Baixa rastreabilidade e conectividade.
  • Gerenciamento de tempo incorreto.
  • Má otimização de processos e recursos.
  • Planejamento limitado de atividades da primeira milha até a milha final.
  • Baixa visibilidade de estoque, logística e gastos anuais.
  • Processos complicados de reclamações de frete.
  • Maiores taxas de retorno sobre o e-commerce e compras na alta temporada de remessas.
  • Globalização da cadeia de suprimentos e o risco de desreguladores da cadeia de suprimentos, como o novo coronavírus.
  • Acessibilidade da informação: visibilidade, relatórios e análises de comunicação.
  • Gestão de custos de transporte.
  • Desempenho de entrega em toda a cadeia de abastecimento global.

Por meio da parceria com a Blue Yonder, a Softtek, por exemplo, traz soluções inovadoras para tais desafios gerenciais, como o WMS e TMS que atendem o dia a dia das empresas de ponta a ponta.

Não são soluções convencionais de mercado, mas que incluem inteligência e modernidade agregando valor ao negócio e otimizando todos os processos da cadeia de suprimentos através de visibilidade, capacidade e velocidade de execução.

Já havia pensado em um Warehouse e uma logística inteligentes?

A integração do WMS com o TMS traz uma série de benefícios às empresas,  como a capacidade de otimizar o espaço de armazenamento e de realocar estoques, reduzindo consequentemente o tempo e os custos relacionados a transporte e ao roteamento externo. Os resultados? Uma maior eficiência de trabalho, a redução nos custos com pessoal e, como foco inicial e objetivo final, a satisfação do cliente.

Por onde começar com a integração WMS e TMS?

Inicie buscando as áreas da empresa em que o valor da união desses dois sistemas pode ser evidente. Locais que podem ter ganhos de eficiência com um melhor alinhamento entre mão de obra, recursos e remessas de entrada e saída para trazer agilidade reduzindo tempo e custos. Para outros, pode aumentar a visibilidade para que haja mais previsibilidade com os embarques e prazos de entrega.

Afinal, as funções de armazenamento e transportes cuidadosamente integradas podem permitir um processamento mais rápido de remessas desde a entrada e a saída, resultando em tempos de ciclo de minimização e aumentar a utilização de ativos.