4 passos para garantir o sucesso da jornada para a nuvem

 

Na trajetória da Transformação Digital, a computação em nuvem apresenta-se como a protagonista entre todas as tecnologias disponíveis. Segundo uma previsão do Gartner, até 2020 mais de US$ 1 trilhão de gastos com TI serão, direta ou indiretamente, afetados pela transição para a nuvem, fazendo desta estratégia uma das forças mais disruptivas da TI desde o nascimento da era Digital. Isso quer dizer que em 2020 uma organização sem nenhum recurso de computação on Cloud será quase tão raro quanto uma empresa sem conexão à web nos dias de hoje.

A jornada para a nuvem atrai empresas de todos os portes e indústrias por conta dos inúmeros benefícios que ela apresenta: agilidade, escalabilidade, redução de custos, otimização e muito mais produtividade do que qualquer outra solução. Entretanto, é extremamente importante que haja um planejamento prévio cuidadoso para que os benefícios sejam colhidos de maneira eficiente e explorados em seu potencial máximo, pois a jornada até lá pode ser tão complexa quanto é disruptiva.

É sobre essa jornada e como se preparar para encará-la, que vamos tratar.

Primeiro o diagnóstico

O primeiro passo é identificar o nível de maturidade da infraestrutura de TI e das aplicações da organização, as tecnologias que estão sendo utilizadas no momento, o que será movido para a nuvem e o que permanecerá nos ambientes locais, os requisitos do negócio, seguido de uma análise profunda da indústria para fornecer insights personalizados e iniciar o planejamento.

A jornada para a nuvem é um movimento contínuo, pois a migração do datacenter é seguida de projetos focados na criação de dashboards inteligentes, investimentos em transformação de aplicações e soluções de automação e monitoramento do consumo, que devem ser planejados e previstos nesta etapa do processo.

Este é um dos passos mais importantes da jornada, pois se feito da maneira errada pode implicar em uma migração incompleta e de baixo retorno.

Depois, a proposição de melhorias

É preciso avaliar o cenário da organização para entender e apresentar de maneira clara as visões de curto, médio e longo prazo sobre como a nuvem impactará nos negócios.

Este é o momento ideal para repensar quais aplicações fazem sentido transformar na migração e quais devem ser migradas da forma como estão, pois, para obter o melhor benefício da migração é importante que as aplicações estejam projetadas para explorar os recursos que a nuvem oferece.

Análise técnica e financeira

Apesar de não haver custo inicial de compra de hardware, quando falamos em Cloud é preciso considerar possíveis despesas com integração, monitoramento, o projeto de implementação e as avaliações sobre aspectos relativos à segurança na fase inicial da jornada, além da necessidade de profissionais qualificados para fazer o gerenciamento da nuvem.

Depois de realizada a migração, os serviços são pagos de acordo com o consumo, podendo aumentar ou diminuir sazonalmente, também levando em consideração o tipo de serviço contratado, que pode ser SaaS, IaaS e PaaS.

A migração de sucesso

As soluções precisam estar integradas à infraestrutura das organizações de uma forma natural, sem qualquer impacto negativo para a área de negócios e sem mudanças drásticas de processos, do contrário as chances da migração não ser concluída com sucesso, ou que haja um cancelamento do sistema aumentam drasticamente.

Um projeto bem-sucedido de migração deve ser transparente para a área de negócios, completamente livre de impactos negativos, mas com benefícios perceptíveis, como agilidade e tempo de resposta da TI.

O maior desafio é que, muitas vezes, TI e Negócios não operam em completa harmonia. São áreas, processos e pessoas operando em velocidades diferentes, usando estruturas diferentes e suportados por uma infinidade de plataformas. O que falta é a sinergia entre todos os pilares da companhia, abastecidos por uma infraestrutura ágil e eficiente, capaz de sustentar a velocidade das mudanças.

O cenário ideal, que deve ser promovido por um parceiro de tecnologia é que todos esses diferentes componentes trabalhem em coordenação para proporcionar uma excelente experiência para o cliente e resultados efetivos para a organização.

Por fim, as estratégias eficazes são aquelas que apoiam as empresas a se transformarem por meio da sinergia entre negócios e tecnologia. A tecnologia, permitindo a transformação de negócios, enquanto os negócios, por sua vez, também impulsionam a transformação da tecnologia.