Transformação Ágil: como começar a implementá-la em sua empresa?

Saiba mais sobre esse conjunto de práticas que promovem agilidade em processos para aprimorá-los e simplificá-los dentro de uma estratégia de negócio

Em tempos de Internet das Coisas, tecnologia 5G, hiperautomação e metaverso, é possível afirmar com veemência que a combinação entre transformação digital e transformação ágil é uma realidade que veio para ficar.

Segundo pesquisa realizada pela Deloitte, nove em cada dez empresas manterão ou aumentarão investimentos em capacitação tecnológica, abrangendo diversas áreas como Infraestrutura, Gestão de dados, Customer Marketing, aplicativos e ferramentas de gestão, entre outras.

Impulsionada sobretudo durante o período pandêmico, no qual as relações comerciais sofreram mudanças significativas, a digitalização permeia toda a cadeia de produção, tanto em relações B2B (Business to Business) quanto B2C (Business to Consumer). Isso implica numa maior competitividade e demanda agilidade na implementação de tecnologias, a fim de acompanhar a dinâmica do mercado.

“Quando se fala em transformação digital é preciso entender que apenas seguir as principais tendências do mercado não é o suficiente para garantir um bom desempenho. Apesar do grande crescimento digital no país, o Brasil ainda carece de maturidade tecnológica. É necessário que as decisões sejam tomadas de forma coerente e embasadas para que sejam efetivas”, explica Adriano Candido, diretor de soluções e inovação na Softtek Brasil.

O processo de transformação digital nas empresas envolve inúmeros desafios, e por isso a implementação de capacidades ágeis – ou transformação ágil – contribui para que essa jornada seja realizada em um ritmo sustentável e fundamentado, promovendo uma agilidade organizacional em diversas áreas da empresa e impactando positivamente toda a cadeia.

Mas, o que é transformação ágil?

O processo de transformação ágil nada mais é do que a implementação de práticas e estratégias que promovem agilidade nos processos da empresa para aprimorá-los e simplificá-los.

Os impactos da implementação dessa capacidade vão desde aumento na produtividade e rentabilidade, até maior satisfação dos clientes – de acordo com estudo realizado pela McKinsey, a prática pode aumentar a performance financeira de 20% a 30%, e melhorar a performance operacional de 30% a 50%.

Importante ressaltar que transformação ágil vai além do setor de TI. Ainda segundo o estudo da McKinsey, as organizações ágeis bem-sucedidas implementam práticas em cinco dimensões:  estratégia, estrutura, pessoal, processos e tecnologia.

“Para que a organização tenha sucesso na implementação do processo de transformação ágil é preciso que ocorra, mais do que uma mudança organizacional, uma mudança no mindset e na cultura da organização, capacitando e empoderando os colaboradores”, complementa Adriano.

Transformação com propósito

A transformação ágil pode trazer inúmeros benefícios, mas é preciso ponderar se a empresa está apta a implementar o processo de forma eficiente, aumentando as chances de sucesso e reduzindo riscos. Fatores como o porte da empresa, mercado e concorrência devem ser levados em consideração.

“O grande desafio da transformação ágil é entregar tecnologia de maneira que integre valor ao negócio, ponderando o tempo de resposta da empresa às pressões do mercado. A área de TI consegue apoiar esse processo, através de um bom alinhamento e integração entre sistemas, por exemplo”, explica Adriano.

Ainda segundo o executivo, é preciso atenção para que o processo seja implementado sem comprometer a rotina da empresa, evitando impactos negativos ao negócio.

“Não é recomendável deixar de lado o dia a dia: o objetivo é entregar agilidade, mas manter o faturamento em ordem. O projeto de transformação ágil precisa andar em paralelo com uma rotina saudável na empresa. Para tal, a Softtek conta com mecanismos de recepção de tecnologia e outras soluções que auxiliam na automatização e otimização de processos”, conclui ele.