DevOps e a importância do trabalho em equipe

rawpixel-558597-unsplash

* Texto original, em inglês, por Alexander Nicholas Kozlov. Para acessá-lo clique aqui.

"Não há 'eu' em uma equipe."

Treinadores gostam de usar esse clichê para estimular os jogadores antes de um jogo importante. Entretanto, os cínicos dirão que sim, é possível formar a palavra “EU” com as letras contidas em equipe. A realidade é que as pessoas podem ser egoístas. Quando se trata do mundo dos esportes, atletas famosos podem relutar em sacrificar sua posição individual em prol do sucesso da equipe.

Dinâmicas similares podem ser encontradas em equipes de tecnologia. Considere a metodologia DevOps: um dos principais benefícios da integração de funções de desenvolvimento e operações é o trabalho em equipe e a responsabilidade compartilhada. De acordo com um usuário, a adoção dos princípios de DevOps facilitou a comunicação e a distribuição das responsabilidades, permitindo uma abordagem mais proativa e eficaz no gerenciamento de problemas. Antes do DevOps, o usuário afirma: “As pessoas geralmente precisavam executar correções 'heróicas' no ambiente do cliente e, muitas vezes, até tarde da noite.”

Isso é bom, certo? Quem quer perder uma noite para resolver uma crise inesperada? Desde outro ponto de vista, no entanto, ter que trabalhar até tarde pode significar que você é indispensável. Um artigo recente da revista CIO, que examina potenciais armadilhas do DevOps, cita o risco de eliminar oportunidades de heroísmo individual. De acordo com um CEO da empresa de desenvolvimento de software citado no estudo, ser o “único que pode resolver isso” é uma fonte de grande satisfação no trabalho para muitos profissionais de tecnologia.

E não se trata apenas do ego. Como o DevOps redefine e realinha as funções e os conjuntos de habilidades necessários, os funcionários que eram essenciais no ambiente antigo podem ter papéis diminuídos ou menos visíveis na nova ordem, e aqueles que não querem ou não conseguem adquirir novas habilidades podem ter seus empregos em risco.

Por fim, os especialistas parecem concordar que a cultura representa o maior desafio para implantar com sucesso as metodologias Agile e DevOps. No nível organizacional, os obstáculos culturais podem incluir silos funcionais e processos ineficientes que sufocam a inovação. Em tais casos, a introdução de mudanças culturais tem que ser um processo gradual que começa pequeno e depois se estende a outras áreas.

Do ponto de vista de como o DevOps impacta os indivíduos, os desafios culturais são igualmente impressionantes. Além de convencer os heróis a assumirem um papel de equipe, há o problema básico de convencer as pessoas a aceitarem mudanças - seja de adquirir novas habilidades, fazer as coisas de maneira diferente ou ser responsável por uma ampla gama de resultados. Com o DevOps especificamente, existe o risco de que a integração de funções anteriormente separadas seja percebida como uma diluição de conhecimento especializado. Nestas circunstâncias, "Aprendemos novas habilidades" pode se tornar "Por que não podemos simplesmente fazer o que somos especialistas?"

Quebrar as barreiras entre o desenvolvimento e as operações pode gerar importantes benefícios para os negócios. Mas para tornar realidade a ideia do DevOps e do trabalho em equipe, os especialistas dizem que o envolvimento da gerência é essencial para comunicar os papéis e as responsabilidades dos membros da equipe no novo ambiente. Idealmente, todos estarão a bordo. Mas se não, a liderança tem que deixar claro que as mudanças não são opcionais. A equipe vem sempre em primeiro lugar, mesmo para os craques.