Como construir uma cultura ágil de maneira eficaz

The-How-to-Eat-an-Elephant-Approach-to-Building-an-Agile-Culture

* Texto original, em inglês, por Alexander Nicholas Kozlov. Para acessá-lo clique aqui.

Um artigo recente da CIO Magazine discute sobre a resistência organizacional e o grande obstáculo que ela representa à uma implantação efetiva de metodologias ágeis. De acordo com o estudo, grandes empresas frequentemente cometem o erro de implementar o Agile como uma diretriz de cima para baixo, ou seja, partindo do C-Level e projetando para toda a organização. O resultado típico é a incerteza, a ansiedade e a resistência das diferentes áreas, seguidas por resultados decepcionantes.

A perspectiva de criar um ambiente ágil pode ser particularmente assustadora para organizações prejudicadas por sistemas obsoletos, silos tecnológicos e processos ineficientes e complexos. Em muitos casos, os princípios ágeis, como responsividade, velocidade e foco nos requisitos de negócios, simplesmente não são uma opção.

Para empresas que lutam contra o ônus das operações legadas, uma ação mais eficaz seria adotar uma abordagem passo a passo, pouco a pouco, para transformar a cultura de desenvolvimento. No lugar da imposição de uma ordem vinda da alta diretoria para usar o Agile, uma iniciativa focada que identifique um fluxo de valor potencial em um negócio pode produzir resultados quantificáveis e fornecer um roteiro eficiente de expansão.

A ideia de “menos é mais” é fundamental para o desenvolvimento de produtos ágeis. Sendo assim, começar pequeno faz sentido.

Para uma análise detalhada de como as empresas tradicionais podem se beneficiar do modelo Ágil, leia este artigo no Future of Sourcing do Jaime Palacios.