Vantagens da CI e CD atrelados a metodologia DevOps

Atualmente temos visto um esforço para a retomada da economia em vários setores. Para tal, leva-se em consideração, neste novo cenário, algumas questões relacionadas a efetividade da entrega, otimização dos custos correntes e acima de tudo a experiência do cliente final. Como ter projetos inovadores, com implementação rápida e que sejam percebidos como um benefício pelo cliente final da sua empresa? Difícil questão, não?

Para responder ao mercado de maneira efetiva, faz-se necessário entender o que o cliente final da sua empresa busca, o retorno que ele compartilha sobre suas entregas e acima de tudo os ajustes ao longo do percurso. Sabemos que no mundo de tecnologia, há muitas vezes, uma necessidade de organização dos diversos ambientes, padronização de linguagens, geração de uma boa governança para que o projeto ganhe celeridade e atinja seu objetivo.

Para empresas que desenvolvem softwares e chegando até o cliente que consome estas soluções, começamos a perceber que os processos de implementação são vagarosos, demandam muitos recursos e podem ser custosos. Se pensarmos na nova condição de muitas empresas neste cenário de retomada da economia, torna-se nítido que a rapidez na resposta é um diferencial perante outras empresas. Logo, percebemos que a CI (Continuous Improvement) e a CD (Continuous Delivery) atende aos quesitos de ajustes mais ágeis, otimização de custos, cooperação crescente e imediata entre equipes focando na alta capacidade de entrega e no atingimento das metas.

Aprofundando um pouquinho mais este assunto, vemos que a CI é uma prática de engenharia de software onde as ondas de integração são feitas com uma frequência constante e crescente, daí o nome continuous (continuidade em livre tradução para o português). De acordo com a esta prática, a rotina de integração é definida em uma cadência pré-estabelecida, visando dar celeridade ao processo. Atrelado a esta esteira de desenvolvimento, há a possibilidade de lançar mão de ferramentas de automação para que o esforço e a qualidade aferida sejam os melhores possíveis.

Em complemento à CI, temos a CD que versa sobre a implantação, isto é, o delivery (entrega) do que foi gerado na etapa do CI. O trabalho diminui, pois tal qual na etapa de CI, o CD empacota e configura a implantação de maneira mais ágil.

Estas práticas em conjunto promovem uma otimização de custos atreladas ao processo de integração, pois o ambiente produtivo permite atender às entregas praticamente sem solução de continuidade, além de viabilizar um retorno à situação anterior caso ocorra algum problema (rollback). Em tempos de retomada pós-pandemia e busca por oportunidades de melhoria nos processos, o investimento em metodologias de DevOps e a implementação de ambientes CI/CD seguramente trazem ganhos em organização, governança e agilidade nas entregas no desenvolvimento e manutenção de aplicações.