Negócios Online – A sua empresa tem o que é preciso para competir?

Que a Covid-19 acelerou o desenvolvimento tecnológico em poucos meses todo mundo já sabe. A grande dúvida que persiste é: em 2022, quais serão as organizações que estarão, realmente, preparadas para esse novo mundo em que estamos vivendo?  Como será definido esse tal de “novo normal”?

Durante o ano de 2020, pudemos observar um crescimento exponencial nas vendas online. Mundialmente e dentro da vertical de Retail, as vendas por ecommerce saltaram de 13.6% para 16.8% segundo dados do eMarketer Global Ecommerce. E a expectativa para os próximos 4 anos é de que esse percentual chegue a 21%.

Além desse aumento, outro dado chama a atenção: de acordo com Worldpay, estima-se que 10 milhões de pessoas fizeram sua primeira transação digital na América Latina em 2020, principalmente via celular. O que não haveria de ser diferente, considerando que cerca de 70% da população do continente tem acesso a um aparelho, e a região é a que mais cresce em termos de mobile commerce no mundo – crescimento de 30.4% versus a média global de 19.4%, conforme balanço da eMarketer.

Diante desse contexto, uma das principais tendências se torna o grande foco em UX (sigla em inglês para experiência do usuário) e tudo o que rodeia o mundo mobile. Aplicativos, sites responsivos, integrações com redes sociais e ofertas personalizadas são alguns exemplos.

Segundo análise da Kantar, nesses novos tempos, cada vez mais o principal fator de decisão na compra online tem sido a experiência, seguida da facilidade de compra, variedade de produtos e, em quarto lugar, o preço.

Palavra de ordem: experiência

Porém, vale ressaltar que UX não tangencia apenas a parte comunicacional. Existem diversos fatores de infraestrutura operativa que levam o consumidor a fazer uma compra por um determinado site e ter, ou não, uma boa experiência. Diversidade nas opções e soluções de pagamento, informações sobre pedido e status de entrega, disponibilidade de estoque, rapidez de resposta, qualidade no atendimento e checkout simplificado estão entre eles.

No Brasil, especificamente, o mercado é dominado por empresas como Magalu, B2W, Via Varejo e Mercado Livre, as quais, juntas, representam 60% do segmento e, em 2020, cresceram 66%, conforme aponta o Euromonitor.

E para poder entregar o que o consumidor espera, essas empresas têm investido na modernização de sistemas e soluções de tecnologia. A Magalu, por exemplo, adquiriu 21 empresas no último ano, incluindo startups que oferecem serviços inovadores. O que é uma forma de competir com os distintos marketplaces e ecommerces que vêm surgindo, e que já são digital natives, isto é, já nascem dispondo de uma simplicidade operativa para o consumidor sendo considerados best in class em UX.

Outro exemplo dessa tendência são os chamados “Neobanks”, como C6 Bank e Banco Inter. Eles lançaram seus próprios ecommerces já integrados com suas soluções de pagamento e associados a um programa de fidelidade que faz com que o correntista prefira comprar produtos através deles e não de outros competidores.

Hoje, portanto, existem inúmeras soluções tecnológicas para o mercado, dependendo do tamanho da empresa e de seus desafios de negócio. Mas há um destaque especial para as soluções de capacitação de vendas online, que vão desde a geração de demanda e criação da loja virtual até o manejo do processo logístico e de pagamentos.

Na Softtek, por exemplo, nós criamos o Digital Sales Services – ou DSS –, a única solução do mercado que cobre todo esse processo de ponta a ponta com apenas um produto.

Sob medida para cada cliente

Em geral, as plataformas existentes tendem a cobrir apenas uma área, seja ela a configuração da loja ou o processo logístico. Porém, seja qual for o campo de atuação, a cobrança é feita sob um percentual incidente no valor do ticket de compra.

Fora isso, uma solução fragmentada acaba obrigando a empresa a trabalhar com mais de um parceiro de tecnologia para cobrir o processo completo, acumulando as taxas e sacrificando a margem.

O DSS, além de simplificar a operação, conta com um modelo de assinatura mensal, com preço fixo por transação seja qual for o valor da compra. Isso acaba se tornando muito vantajoso, principalmente para clientes com valores de venda mais altos que reduzem o custo operativo, melhorando as margens. E mais: a solução pode ser adquirida em módulos, de acordo com a necessidade de cada negócio.

Módulos Softtek

No total, na Softtek nós contamos com 7 módulos. São eles: Geração de Demanda, Content Management (para manejo de dados mestres de produtos), Canais (ecommerce, marketplace, mobile), Monitoramento Logístico, Last Mile Delivery, Processamento de Pagamentos e Smart Commerce (BI).

Nos últimos tempos, temos observado uma demanda grande por soluções de tecnologia em distintos segmentos – desde serviços até varejo. O que muda é a necessidade específica de cada um. Setores que antes não atuavam fortemente no comercio online, por exemplo, como saúde e bancos, agora buscam uma solução para armar seu próprio ecommerce ou marketplace. Já as empresas de varejo, que se viram dentro de uma transformação digital há alguns anos, buscam soluções mais robustas de manejo logístico e entregas.

Três benefícios a destacar do DSS são:

  • Solução de ponta a ponta: nós cobrimos o processo completo, sem a necessidade de integrar distintas vendas e diminuindo a complexidade operativa;
  • Robustez: podemos processar tanto a estrutura de vendas de uma pequena empresa como de uma gigante; um dos nossos clientes, por exemplo, transaciona cerca de 8 milhões de ordens ao mês em processos logísticos;
  • Preço fixo por transação: o cliente paga um pacote de transações com preço fixo, independente de ticket médio. Isso melhora as margens e reduz custos de ecommerce.

Nós ajudamos você a evoluir rapidamente para uma solução de comércio digital de última geração.

Consulte nossa Equipe